PLANTAS ESPONTÂNEAS MEDICINAIS EM QUINTAIS PERIURBANOS

  • Marci Aparecida Lemes Lemes UNIARA - Universidade de Araraquara -SP.
  • Ferraz UNIARA - Universidade de Araraquara - SP.
  • Yavorski UNINI - Universidade Internacional Iberoamericana -México
Palavras-chave: Etnobotânica., Usos e Costumes., Segurança e soberania terapêutica.

Resumo

Trata-se de pesquisa descritiva com estratégia de estudo de caso e método misto, realizada de fevereiro a maio de 2018, com objetivo geral de verificar o conhecimento e o uso das Plantas Espontâneas Medicinais por 4 informantes residentes em 4 quintais da área periurbana do Município de Roncador, PR., Brasil, escolhidos de forma intencional. Os objetivos específicos consistiram na verificação da forma e da intensidade de uso e do interesse dos participantes em adquirir mais conhecimentos sobre as plantas espontâneas medicinais. O estudo dividiu-se em duas etapas: Revisão da literatura e Pesquisa de campo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 1 morador por domicílio cujas idades variaram entre 22 e 72 anos, Turnês guiadas, checklists com imagens de plantas para a confirmação taxonômica das espécies e levantamento quantitativo. Os dados coletados foram agrupados e tratados estatisticamente e os resultados transformados em quadros. O estudo justificou-se pela pouca divulgação de informações seguras da viabilidade do consumo das plantas espontâneas na medicina popular. Foram registradas 28 espécies medicinais espontâneas, distribuídas em 15 famílias botânicas, destacando-se a Asteraceae entre as mais conhecidas e consumidas. Os informantes possuem relevante conhecimento das plantas e seus usos e consciência ambiental preservacionista. Sugeriu-se ações governamentais e novas pesquisas.

Biografia do Autor

Ferraz, UNIARA - Universidade de Araraquara - SP.

Pós doutorado em Agroecologia pela Universidade de Córdoba (UCO) Córdoba Espanha. Doutorado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP. Mestrado em Agronomia (Microbiologia Agrícola) pela Universidade de São Paulo -ESALQ – USP. Graduação em Biologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. É pesquisador convidado do Laboratório de Engenharia Ecológica da Unicamp e Professor da pós graduação da UNIARA (mestrado e doutorado em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente).

E-mail: ze2cordoba@yahoo.es

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3851804858390996

Yavorski, UNINI - Universidade Internacional Iberoamericana -México

Doutora em Educação Universidade Internacional Iberoamericana – UNINI-FUNIBER; Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente Centro Universitário de Araraquara - UNIARA, Especialista em Educação Especial – Deficiência mental Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Jandaia do Sul - FAFIJAN, Pós-Graduação em Arte, Educação e Terapia, e Formação de professores com ênfase na educação a distancia Faculdade São Brás - FSB, Licenciada e Bacharelada em Psicologia - Universidade Estadual de Maringá - UEM, Licenciada em Pedagogia – UniBF, Professora, Pesquisadora, membro da UNINI-FUNIBER grupo de investigação; autora de artigos relacionados a Educação, Psicologia e Meio Ambiente Sustentável. E-mail: rose2013yavorski@gmail.com. ou yavorski2021rose@hotmail.com

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4565501071163057

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9131-597X

Publicado
2021-12-24
Como Citar
Lemes, M. A. L., Ferraz, J. M. G. F., & Yavorski, R. Y. (2021). PLANTAS ESPONTÂNEAS MEDICINAIS EM QUINTAIS PERIURBANOS. Dialogando Saberes , 4(04), 114-132. Recuperado de https://revista.acfcacademus.com.br/index.php/academus/article/view/45